quarta-feira, 19 de julho de 2017

Chico X Hitler : Qual será nosso Futuro?


Tive um amigo enfermeiro muito engraçado que quando alguém lhe dizia uma bobagem muito grande ele logo retrucava:

“Para, para. Você ouviu o que você disse? Fala de novo , devagar e em voz alta e ouve “

Por que ele agia assim? Porque ele acreditava que as pessoas - e concordo com ele - muitas vezes falam sem pensar e sequer percebem o que disseram, só caindo na real quando falam a frase em alto e bom som e bem devagar. Confesso que muitas começam a rir antes de repetir a frase, enquanto outras se espantavam com o que haviam dito. Há também aquelas bobagens célebres que repetimos por anos a fio e que um dia acabam se voltando contra nós mesmos.

Uma dela é a máxima espirita – hoje em acelerado declínio – “Chico comia carne e Hitler era vegetariano”.  Já falamos deste assunto aqui há alguns anos atrás, mas algo novo parece ter surgido com a mudança na fala de alguns espiritas.

Qual de nós, vegetarianos , dentro de uma Casa Espirita nunca ouviu isso, ou leu em algum Blog espirita purista? Para defender o carnivorismo eminentes oradores já fizeram uso desta frase em palestras e em artigos e entrevistas, ela era - porque está deixando de ser – um alicerce para o pensamento de que animais devem ser mortos por humanos para que sejamos gastronomicamente satisfeitos. Nenhum baluarte que fez uso dela notou que era não possuía qualquer respaldo e que não passava de um pensamento falacioso e extremamente cruel.

Se você dizia que era vegetariano e que os espiritas, por terem um cabedal de conhecimento disponível deveriam reconsiderar sua alimentação, de cara alguns deles citava esta frase, sem contudo citar juntamente o autor(alguns dizem que foi Ramatis, porém se o foi, acredito seriamente que nessa comunicação houve um grande animismo, já que a visão vegetariana de Ramatis é enorme ).

Jesus e um nazista


Depois de ouvir tal frase, pelo menos eu, perdia um tempo considerável tentando explicar a verdade enquanto o outro passava o mesmo tempo ignorando cada palavra que era dita, afinal, ele havia citado uma frase de peso, que tinha como grande alicerce o nome de Chico Xavier.

Mas Hitler morreu.

Chico desencarnou.

É verdade , porque os outros não espiritas morrem, já os espiritas desencarnam, pode prestar atenção nesse detalhe. Que seja, ambos deixaram seus corpos materiais e hoje em dia, com o avanço das ideias vegs de não crueldade, de respeito, de reconhecimento não apenas da alma mas da senciência animal, do inicio dos tratamentos e da assistência espiritual de animais em Casas espiritas, dos tratamentos holísticos como Reiki, Johrey, Cromoterapia, entre outros , essa frase começou a encurralar contra a parede quem fazia uso dela e hoje tornou desconcertante alegar que precisamos da carne porque Chico comia e que se formos vegetarianos seremos como Hitler.

Vamos ler novamente esta frase:

“Chico comia carne e Hitler era vegetariano”

Parece meio complicado alegar que Chico Xavier - ombreado por Emmanuel e André Luiz que falavam tanto dos malefícios da carne - o baluarte do Espiritismo não possuía o mínimo respeito pelos animais. Até porque quando se fala em alma animal 99 de cada 100 autores relatam apenas a velha história de Chico e seu amor por sua Pretinha, um cão de estimação que se enquadra perfeitamente a qualquer pessoa, afinal muitos amam seus “Pets” e mesmo assim se esquecem que os bois também reencarnam, assim como a Pretinha. É que culturalmente cães não fazem parte de nosso cardápio, até Hitler gostava de cães, mas não se incomodou em matar o seu com cianureto quando perdeu a guerra. Mas e se a pretinha houvesse nascido na Coréia ou na China? Que seria dela?
 Gato tentando escapar

Gato tentando escapar


Fato é que q frase vem tentando ser obscurecida de alguns anos para cá, pois em muitos artigos já começamos a ler  que “na verdade Chico Xavier era vegetariano”, segundo alguns ele escondia isso de todos, porque temia que se o dissesse abertamente as pessoas , ao pararem de comer carne por causa dele, adoeceriam, morreriam, os frigoríficos fechariam e milhares de pessoas perderiam seus trabalhos devido a isso?!?!?!?!?!?!?

Chico não fumava e as indústrias de tabaco/cigarra batem recordes de venda em cima de recordes de venda.

Chico não bebia e a indústria de bebida batem recordes de venda em cima de recordes de venda, mesmo dentro das Casas Espiritas há, em algumas, venda de cervejas e vinhos.

Mas comiam e comem carne até hoje por causa dele, ou será que irão parar depois da mudança de discurso que estamos vendo?

Fica aquela dúvida: a bobagem foi dita antes ou está sendo dita agora?

Quem espalhou o primeiro boato, será que pensou que um dia no futuro a coisa iria pesar para o lado de Chico (veja que usam Chico para se defenderem), será que um dia alguém imaginou que com o aumento dos vegetarianos pelo Planeta todo, e com a ciência provando que estávamos sempre certos, os espiritas teriam que, para não enlamear o nome de Chico Xavier como vinham fazendo, teriam que modificar o discurso e fazer a todos custo as pessoas a acreditarem nele esquecendo aos poucos do antigo? E porque agora os ouvimos dizer que “um dia todos seremos vegetarianos”, o que eles querem dizer que seremos todos como Hitler? Já que o velho discurso alegava:

“Chico comia carne e Hitler era vegetariano”

Será que querem dizer que Chico e Hitler eram vegetarianos e que as diferenças morais não se dão no campo da alimentação e sim do Espirito?

Seremos iguais a Hitler ou igual a Chico dependendo dos caminhos que escolhermos, essa é a verdade que eles nunca conseguiram compreender.

Cão aguardando a morte

Acredito que esses espiritas estejam agora, buscando por aquelas explicações que lhes demos no passado e que ironicamente ignoraram a respeito da historia falaciosa do vegetarianismo de Hitler. Quando acharem a verdade vão começar a dizer:

“Chico era vegetariano e Hitler comia carne, mas fingia ser vegetariano para parecer uma pessoa boa, afinal Gandhi era vegetariano”

Finalmente Gandhi vai entrar no discurso espirita.

Eu tentei explicar isso para vocês no passado, lembram????

Mas agora vocês já plantaram uma dúvida extremamente perigosa, os dois eram ou não vegetarianos e diante disso, qual será o nosso futuro?

Será que com isso querem também dizer que todos os austríacos(Hitler era austríaco e não alemão) são como ele???

Algum espirita adepto do carnivorismo pode me explicar isso?

Só rindo mesmo ......




Simone Nardi





Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 










Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Selo “Animal Pet” ?

Carne de Boi ou carne de cachorro? Qual a diferença?



Outro dia recebi pelo Face uma mensagem de uma pessoa totalmente alterada que vociferava contra os chineses e o festival de carne de cachorro de Yulin. A cada data comemorativa recebo centenas de mensagens revoltosas contra o assunto só para que me vejam questionar como sempre:

“Você ao menos é vegetariano-vegano?”

De cada 10 que reclamam duas são, as demais vociferam o dobro alegando que uma coisa nada tem a ver com a outra, porque cães são “Pets” – que significa Fofo ou animal preferido -, porque cães são os melhores amigos do homem, porque cães são inteligentes.

É desconsiderar a própria inteligência alegar coisas assim.

GOOGLE

Esse veio substituir o antigo “pai dos ignorantes” (ignorante de desconhecer mesmo) o antigo Dicionário Aurélio, onde corríamos procurar as palavras que desconhecíamos. Hoje o GOOGLE é mais completo ainda, além de palavras podemos descobrir sobre a inteligência e a senciência dos animais.

Podemos ver que cães não são “pets”, “pets” são objetos que as pessoas usam para aparecer na sociedade, normalmente são comprados por preços absurdos possuem raça, registro, usam roupas caríssimas- de grife lógico- sapatinhos, pingentes, pintam as unham coisas que Cães/animais não gostam. “Pets“ são humilhados por “donos” que necessitam colocar neles suas próprias características e vaidades; “Pets” possuem “donos” que não os aceitam como são: Cães. Por isso os chamam de “Pets”, ou seja:  o meu objeto de estimação, o meu objeto de companhia ou simplesmente meu “Pet/Objeto” para desfilar por ai para que outras pessoas vejam e literalmente “morram” de inveja.

Esse não agride visualmente por não ser considerado Pet

Isso não torna correto fazer um animal  virar ou não comida, isso não o credencia como um animal “acima” dos demais; somente alguém muito orgulhoso usaria o termo “Pet” para dizer que este ou aquele não pode virar comida, embora as pessoas comumente façam isso no dia a dia, afinal quem tem uma vaca “Pet” não a devora, mas devora as demais. Quem tem um porquinho “Pet” não come a pururuca dele, mas a de seus outros irmãos que não tiveram ao nascer o mesmo carimbo de “Animal Pet”.

Ah, mas os cães não podem virar comida “porque são o melhores amigos do homem”. Quem disse isso? Um homem? Mas e os homens que criam gatos? Gatos então podem ser devorados? Mas existem homens que criam cobras, ratos, lagartos, peixes, escorpiões, aranhas, estes também podem ser devorados ou entram na categoria “Pet”?

Se os cães fossem mesmo “o melhor amigo do homem”, não seriam abandonados pelas ruas nem seriam obrigados a se tornarem uma grife “Pet” que gere Status para seu “dono”.

Porque “Pet” possui “dono” enquanto cães possuem “tutores”.

Muitos que escrevem reclamando da cultura chinesa em relação carne de cães compram produtos chineses, roupas, bichinhos de pelúcia que por várias vezes após a investigação particular de protetores de animais, foi descoberto que a tal “pelúcia” era feita com pelos de cães e gatos, mas existem os cílios postiços, as jaquetas, sapatos, cintos de couro, tantas coisas que a china exporta e que contem pelos ou couro de animais, sobretudo de cães e gatos...

E algumas pessoas ainda se dão ao trabalho de escrever como “entendidos no assunto” e “defensores da moral e da ética” que os chineses sim são um povo do mal, que chineses deveriam morrer, mas falam isso dentro dos “Macdonalds” da vida, saboreando um hambúrguer duplo sem se preocuparem se o animal que eles mastigam sofreu, teve medo,  se era senciente ou se possuía uma alma....

Visualmente normal por não ser Pet

Não, ofender o povo chinês mostra que sou racional, afinal não aprovo a matança de cães. E escreve horrores enquanto pede a picanha na churrascaria, sem se dar conta que todos os animais são iguais, é apenas a cultura do orgulho humano que os diferencia no momento de devorá-los. Esses também gritam contra as touradas e a farra do boi enquanto enfiam na boca e mastigam um pedaço de suíno, que também poderia ser um “Pet” se tivesse tido a sorte de ter recebido este carimbo ao nascer.

Coitado do vegetariano que entrar neste grupo e questioná-los sobre sua alimentação....

Vai ser ofendido tal como o povo chinês, só porque foi ser coerente. Experimente ler a acalorada discussão dos pseudos-sábios a respeito do festival chinês e tente colocar ali algo para racionalizarem a respeito dos animais, fale sobre o sofrimento dos bois, dos porcos e das galinhas e logo todos eles se esquecerão da China e verão em você o alvo do momento. Vão lhe dizer que comer bois é algo normal, afinal eles foram criados para isso. Qual o problema em comer porcos, isso é culturalmente aceitável. Vai ouvir que galinhas não são inteligentes e que não sofrem na hora do abate. Li numa destas discussões  um cara dizer que os chineses pegam cães de rua para abater e me lembrei da Operação Carne Fraca e de todos os desdobramentos depois dela:carnes com papelão, com abscessos, podres, contaminadas com salmonella...embargos, embargos embargos, acredite até a China embargou a carne brasileira.

Bois, porcos, galinhas podem ser mortos porque não são inteligentes? Mostre-lhes a verdade e eles recusarão. Mostre-lhes a senciencia e eles retrucarão: mentira.

"Cegos que vendo, não veem"( José Saramago)

E ao deletar tantas arrogância do meu Face fico me questionando:

Quanta ignorância ainda iremos ver, ler e ouvir?

Visualmente ofensivo por ser considerado um Pet??

Os maus tratos aos animais incluem muito mais do que lutar apenas pelos cães da China  ou pelos golfinhos e baleias do Japão, ou ainda pelas focas no Canadá, na Rússia, na Noruega e na Groenlândia  ela se inicia pelo seu prato de cada dia, se você acredita ser impossível para você parar de comer carne, o que também é um fato cultural, não seja hipócrita. Saiba que você somente se revolta contra este tipo de coisa porque as imagens lhe são expostas e que você até hoje, jamais buscou ver uma imagem de um boi, porco ou galinha morrendo por lhe causar pena - e não revolta - e muitas vezes por seu desejo de permanecer comendo carne. A proteção animal necessita de lutadores, de pessoas capazes de ver a morte em seu prato e se repugnarem a tal ponto de mudarem a alimentação, não precisamos de “protetores” de ocasião para nos lembrar de uma luta que vem sendo travada há anos.



Simone Nardi







Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 





Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Quando os oradores espiritas irão fazer o que seus lábios repetem??


PENSADOR



“A inteligência espiritual coletiva é baixa na sociedade moderna. Vivemos em uma cultura espiritualmente estúpida, mas podemos agir para elevar nosso quociente espiritual”.

Dana Zohar*





Essa é uma pergunta recorrente aqui no Blog. Sempre nos enviam emails questionando ou avisando que em tal orador ou em tal rádio espirita  alguém disse um tremendo absurdo sobre os animais. Aqui mesmo no blog trazemos inúmeras cartas em forma de artigo respondendo a esses locutores e oradores sobre seus deslizes constantes a respeito dos animais. 

Sabemos que o que falam não passa da "Opinião pessoal de cada um deles", já que é bem claro a explicação nos livros espiritas(não somente de Kardec) a espiritualidade dos animais, muitíssimo semelhante a nossa própria jornada.

Já fomos animais?

Na verdade para sermos o que somos hoje, quase seres H-umanos, já passamos sim pelos diversos reinos , escalando a longa trilha evolutiva, os animais apenas estão em um dos muitos reinos pelo qual todos já passamos. A impressão que tenho, as vezes, é que a irracionalidade a respeito destes irmãos, ainda mantem muitos espiritas em reinos como o animal e para ser sincera, até mesmo no reino vegetal.

Não é possível ouvir um espirita dizer que os animais foram criados para o fim alimentar. Não é possível ouvir espiritas bradando que protetores de animais perdem tempo com eles quando deveriam estar auxiliando as crianças. Não é possível mais ver um orador espirita pedindo misericórdia e matando um animal para comer. 

Já passamos do limite da irracionalidade e desdem a respeito destes irmãos que estão aqui pelos motivos deles, não pelos nossos. Sim, há quem diga que Deus, logo Ele puro amor, criou os animais para nos servirem. Quem quer que saia por ai dizendo isso se esqueceu da Lei da Evolução.

Todos foram criados para evoluir.

Cada um evolui no seu tempo, para alcançar sua própria angelitude,não para servir de "degrau" para o mais preguiçoso.

Quando conheci um amigo  espirita, muito gente boa, ele me dizia:

Não acredite , nem se encante com muitos oradores espiritas, eles sabem falar, mas quando descem do púlpito são ainda piores do que aqueles que estavam ali para ouvi-lo.

Não ouço, não falo, não vejo
Isso é ainda mais verdadeira quando se trata de Animais.

As pessoas se encantam quando alguns oradores falam sobre cães. Porque  o cão de fulano reencarnou, porque ciclano viu o cão desencarnado, mas ignoram os animais que todos os dias morrem nos abatedouros, vitimas da caça, vitimas de fome e do abandono. Para esses animais alguns oradores viram as costas e pior, desdenham daqueles que os auxiliam como se não fosse um trabalho nobre auxiliar outro irmãos em sua evolução.

Vamos parar de contar "historinhas" para alegrar a plateia e vamos trabalhar o prato nosso de cada dia. Vamos parar de empurrar com a barriga o termo vegetarianismo e olhar realmente para os animais como eles são: Criações Divinas com os mesmos direitos a VIDA.

Falar sobre misericórdia é fácil, ser misericordioso é difícil.

Nada mais de esperar por "um dia" de mudança, esse DIA é HOJE.


Simone Nardi



* Dana Zohar, física , filósofa, formada em física pela Universidade Harvard, possui pós-graduação pelo Massachusetts Institute of Tecnology (MIT) e leciona na universidade de Oxford




Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 









Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Os animais são nossos companheiros, não nosso alimento

Charles Camosy


Márcia Junges e Andriolli Costa / Tradução: Isaque Gomes Correa



O teólogo Charles Camosy, autor de livros sobre o amor cristão aos animais, alerta sobre a cumplicidade do consumidor com a crueldade contra os animais


“Crescei e multiplicai-vos, enchei e dominai a terra. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se movem na terra", comanda o primeiro capítulo do livro do Gênesis. No entanto, para o teólogo Charles Camosy, este “domínio” que Deus deu ao homem vem sendo muitas vezes mal interpretado ao longo dos anos. “Nosso domínio deveria seguir o exemplo de Jesus, para quem liderança significa serviço não violento aos que estão à margem. Os animais devem constar como pertencentes a este tipo de população marginal”, propõe.



Camosy, que concede entrevista por e-mail à IHU On-Line, critica duramente a crueldade contra os animais para fins de alimentação. De acordo com ele, o simples fato de desejarmos nos alimentar de suas carnes não é motivo suficiente para promover o sofrimento dos “animais não humanos”. “Para muitas pessoas, o único momento em que elas interagem com animais durante todo o dia é quando os comem.” O filósofo trata do veganismo e do vegetarianismo como alternativas, destaca a diferença de seu pensamento com o de Peter Singer (outro autor que defende os direitos dos animais) e marca sua posição sobre os fetos humanos, cujos direitos — tal como dos animais — são muitas vezes recusados.



Charles Camosy possui graduação em Filosofia e em Comunicação e Teatro pela Universidade de Notre Dame. Pela mesma universidade, possui também mestrado em Teologia Sistemática e doutorado em Ética Cristã, além de doutorado em Filosofia pela University of California. Atualmente é professor assistente de Ética Cristã na Universidade de Fordham (EUA). Além do livro que baseia esta entrevista, intitulado For Love of Animals: Christian Ethics, Consistent Action ( Franciscan Media: Cincinatti, 2013), Camosy é autor de Too Expensive to Treat? - Finitude, Tragedy, and the Neonatal (Grand Rapids: Wm. B. Eerdmans Press, 2010) e Peter Singer and Christian Ethics: Beyond Polarization(Cambridge: University Press, 2012).


Confira a entrevista.

IHU On-Line - Em que consistem as práticas condenáveis às quais você se refere sobre a criação de animais em confinamento nas fazendas industriais nos EUA?

Charles Camosy - Estas práticas não estão limitadas às fazendas americanas, mas são projetadas para maximizar as “unidades proteicas por metro quadrado”. Elas incluem manter os porcos em “gaiolas de parto” nas quais eles passam a maior parte de suas vidas sem mesmo ter um espaço para se virar para trás. As peruas criadas possuem o peito tão grande que sequer conseguem fazer sexo com seus pares, precisando que o sêmen do macho seja “obtido manualmente” para inseminar artificialmente a fêmea. Galinhas chocadeiras passam a vida inteira em gaiolas empilhadas, com 50 cm² de espaço, sendo atingidas pelas fezes das galinhas acima. Hoje, as galinhas são geneticamente manipuladas de tal forma que elas nunca se sintam “estufadas” e comam tanto quanto possível, no menor espaço de tempo; portanto, elas estão constantemente famintas. Eu poderia dizer muito mais, incluindo as práticas repugnantes empregadas para matarmos estes animais, mas você entendeu. Eles são vistos como meras “coisas” que estão ao nosso dispor, como qualquer outro tipo de produto em um supermercado.

IHU On-Line - Em que aspectos consumir a carne desses animais é compactuar com um ato vergonhoso e pecaminoso?

Charles Camosy - Na medida em que compramos carne com base no preço, somos cúmplices dos atos vergonhosos e pecaminosos acima trazidos. Afinal, o motivo pelo qual as “fazendas industriais” tratam os animais de forma tão terrível é porque tentam reduzir os custos para que possamos comprar seus produtos pelo preço mais baixo. Precisamos comprar carnes de animais que foram bem tratados — e, portanto, mais caras — ou teremos de nos recusar a comprá-las de vez.

IHU On-Line - Em que medida há uma compreensão equivocada do livro do Genesis sobre como devemos conviver com os animais não humanos?

Tripas de boi espalhadas no chão

Charles Camosy - O livro de Gênesis, capítulo 1, diz que nos foi dado o “domínio” sobre os animais. Porém, nosso domínio deveria seguir o exemplo de Jesus, para quem liderança significa serviço não violento aos que estão à margem. Os animais devem constar como pertencentes a este tipo de população marginal. De fato, Gênesis 1 diz que os animais estão “bem”, independentemente dos seres humanos, e ordena a nós, humanos, que tenhamos uma dieta vegetariana (comer animais aparece apenas após o pecado ter entrado no mundo). Gênesis, capítulo 2, mostra que Deus traz os animais a Adão “porque não é bom que o homem esteja só”. A compreensão é a de que os animais são nossos companheiros, não nosso alimento.

IHU On-Line - Por que a humanidade deve bondade aos animais não humanos?

Charles Camosy - Bem, se a pessoa for católica, podemos citar o Catecismo da Igreja Católica que insiste que “devemos bondade aos animais”. A linguagem de justiça é usada. Devemos bondade aos animais, e precisamos dar isso a eles, especialmente se respeitarmos o ensino (a doutrina) católico.

IHU On-Line - A partir disso, em que medida o antropocentrismo é um dos pilares que explica esse comportamento consumista e exploratório que a humanidade vem demonstrando para com os animais não humanos?

Charles Camosy - O antropocentrismo é uma parte significativa deste comportamento. Para muitas sensibilidades modernas, especialmente conforme mais e mais pessoas migram para as cidades, os animais se tornam simplesmente invisíveis. Não pensamos sobre eles, e certamente não pensamos no que devemos a eles em termos de justiça. Para muitas pessoas, o único momento em que elas interagem com animais durante todo o dia é quando os comem. É preciso mudar isso e nos tornarmos mais cientes de como nossas ações contribuem para o sofrimento dos animais não humanos, além de nos recusarmos a tomar parte deste comportamento consumista e abusivo.

IHU On-Line - Deixar de consumir carne ou mesmo reduzi-la em nossa dieta podem ser contrapontos ao consumismo no qual a humanidade se encontra mergulhada?

Charles Camosy - Sim, poderia. E as tradições cristãs têm uma longa história de práticas alimentares éticas, incluindo a rejeição de consumir carne. Deveríamos prestar mais atenção a estas práticas, especialmente durante a Quaresma.

IHU On-Line - O veganismo e o vegetarianismo surgem como opções éticas para deixarmos de lado o consumo de carne?

Charles Camosy - Sim, são. E eu acho que eles são métodos úteis de resistência. Não há uma “única resposta certa para todo mundo” quando se trata de como resistir à exploração de animais em nossa cultura consumista. O que precisamos é encontrar formas que funcionem para cada um de nós.

IHU On-Line - Ao mesmo tempo em que boa parte da humanidade nega a dignidade dos animais não humanos, o mesmo ocorre com os fetos, por muitos considerados “sem direitos”. Quais são as implicações éticas desse tipo de posicionamento?

Charles Camosy - De algum modo, nossa história humana de pecado pode ser contada como constituindo episódios em que o poderoso domina o fraco, principalmente quando a dignidade do fraco é inconveniente para o poderoso. A dignidade dos animais é inconveniente àqueles de nós que querem comer carne fresca. Mas a dignidade de nossas crianças no pré-natal também é inconveniente àqueles no poder, especialmente quando estes bebês representam prejuízos às nossas carreiras e capacidades de vivermos um estilo de vida consumista. É por isso que o a Doutrina Social Católica insiste que devemos ter uma opção preferencial pelos mais vulneráveis; estas populações precisam de uma voz que as defenda em sua dignidade contra os poderosos. Eu acredito que tanto os animais não humanos quanto nossas crianças pré-natais (embora obviamente os bebês não sejam iguais aos animais) são populações marginalizadas que precisam de nós para falarmos por eles.

IHU On-Line - Quais são os principais pontos de debate e convergência de seu pensamento com Peter Singer ? 

Charles Camosy - Em primeiro lugar, as opiniões de Peter Singer estão em meus pensamentos quando trato deste assunto; então eu o agradeço por isso. Ele tem feito um belo trabalho no sentido de que levemos mais a sério o status moral dos animais. E embora eu concorde com ele sobre o fato de que nosso interesse em comer carne animal não pode justificar o mal que lhes causamos, discordo, sobretudo, de seu utilitarismo preferencial. Discordo, obviamente, por completo dele sobre o status moral das crianças em estado pré-natal e neonatal, mas também discordo dele sobre a forma como descrevemos o valor dos animais não humanos.

A teoria moral dele o limita a falar somente de prazer, dor e preferências, mas os cristãos podem falar do florescer dos animais, já que Deus os criou. Se um pássaro morre, isso é ruim. Mas ele pode ter morrido sem dor, caso no qual o utilitarismo terá problemas para explicar por que tal morte é ruim. Os cristãos podem dizer que a morte de um pássaro é ruim por ter falhado em ser e florescer conforme os desígnios de Deus a fim de contribuir para com o universo repleto de vida criatural. Como falhou em ser e florescer como o animal que é, sua morte é ruim. Assim, a forma como nós, humanos, tratamos os demais animais é terrível, não só porque eles sofrem, mas também porque a estas criaturas não se permite ser e viver como as espécies que elas constituem, na forma como Deus desejou.



 Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 








Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017
C

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Homens de Boa Vontade

Ao final explicaremos o motivo do conto, se é que será necessário explicar . . . 




Jaguar, o belo vampiro terminou de arrumar-se e saiu. Aquela era uma noite especial para os humanos. As ruas estariam repletas deles e ele poderia alimentar-se muito bem. Correu os dedos longos e finos pela casaca e seus olhos  verdes brilharam. Aquela noite também seria especial para ele.

Em poucos minutos ele cruzava as avenidas repleta de luzes coloridas. As casas ao redor traziam a mesma alegria e as mesmas cores. Haviam renas, anões, um número incontável do velho gordo e Presépios. Sim, Jaguar adorava aquela noite cheia de vida e de sangue.

Dezenas de pessoas se acumulavam nas ruas, as crianças eram a maioria, estavam ansiosas pelos presentes que iriam encontrar no dia seguinte. O cheiro dos assados tomava conta do ar e os gritos alegres ecoavam em seus ouvidos.

Ele escolheu sua primeira vítima. Uma bela jovem que estava acompanhada de um pequeno grupo de garotos. Agora era hora de esquecer os problemas e começar a trabalhar.

Feliz Natal. – falou ele para o pequeno grupo.

Feliz Natal- responderem eles em uníssono coro.

O vampiro sentou-se e em poucos minutos já se encontrava perambulando sozinho com a garota. O ataque não demorou muito. Suas presas rasgaram a pele fina e o sangue entrou aos borbotões em sua boca, saciando sua sede. Antes que ela acabasse morrendo, Jaguar soltou-a deitando-a delicadamente no chão.

Seus olhos  brilhantes se dirigiram a outra jovem e o ataque repetiu-se sucessivamente por mais cinco, dez, doze vezes. Quando o vampiro deu por si os sinos já badalavam a meia noite.

Era natal.

Jaguar limpou os lábios e sorriu. Doze vítimas numa única noite, estava melhorando a cada ano. Entrou no carro e partiu ouvindo os fogos que explodiam e coloriam o céu num festival belíssimo.

Precisamente as duas da manhã, ele parou o carro defronte a um enorme prédio que se encontrava praticamente abandonado. Algumas luzes indicavam que havia vida lá dentro, mas as sombras tomavam conta da maioria das janelas.

Ele entrou e galgou os longos corredores cortando o silêncio frio com suas pesadas botas de couro vegano. Com os olhos atentos ele procurou por um rosto e sorriu ao encontrá-lo.

Uma velha senhora se achava sentada por detrás de uma mesa lendo um anuário, totalmente alheia a algazarra das ruas. Os óculos de leitura descansavam sobre o nariz pequeno e delicado e o rosto enrugado formou um belo sorriso ao vê-lo.

Eu sabia que viria.- falou ela levantando-se.

Jaguar acompanhou-a e deitou-se onde ela lhe ordenou, sentia-se infinitamente bem ao lado daquela mulher.

Feliz Natal- falou ele para ela.

Feliz Natal – respondeu a velha com um sorriso.

Jaguar sentiu uma leve pontada e tornou a sorrir vendo a pequena bolsa se encher de sangue.

Você não...

Não, Clara. Não matei nenhum dos doze, apenas tomei-lhes o sangue para trazer até aqui. Já devem ter acordado para comemorar o Natal.

Sabe que a doação é um ato de amor?

Há cinco anos, desde que a encontrei.

A enfermeira sorriu vendo o sangue rubro enchendo a pequena bolsa de doação. Há cinco anos que aquele entranho ser seguia aquela rotina. Tomava o sangue dos humanos na véspera de Natal depois vinha até ela para que retirasse as bolsas de sangue para doação. Segundo ele,  fazia apenas  a bondade que os humanos esqueciam de praticar no dia de Natal.

Terminado o trabalho, ambos se despediram e Jaguar sorriu entregando um broche de ouro para a velha que agradeceu entregando-lhe um relógio de bolso. Depois Jaguar partiu  porém, antes de entrar no carro, elevou seus olhos ao céu e sorriu enquanto dizia.

— Feliz Natal aos seres de  Boa vontade.


Simone Nardi08/11/03



OBS:


Por volta do ano 2000 conheci um grupo de escritores muitíssimo interessante o "Tinta Rubra", era um grupo de escritores amadores que se atinham a temas fantásticos como bruxas, lobisomens, vampiros, entre outros contos considerados de terror. Eram tão criativos que tudo era motivo para lançar um desafio:festas, comemorações nunca passavam em branco naquele grupo.Este conto fez parte de um dos muitos desafios que era fazer conto de terror ligado a algum assunto, por estarmos próximo do fim do Ano o tema seria o Natal, e como falar de morte quando o Natal deveria trazer tanta vida?

A redenção de um ser das trevas.

A ideia da doação de sangue surgiu daí, dar um pouco de vida Aquele que a vida nos Deus: Jesus.

Junho Vermelho pode ter passado, mas como no conto acima, todas os dias são dias de distribuir vida.




Gostou deste Blog? 

Mande um recado pelo


Nos Ajude a divulgar 















Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017